Maio 10, 2011


Citando AS-PTA
Número 536 – 06 de maio de 2011
O aumento das pragas secundárias nos plantios de algodão Bt na China tem feito com que a redução do uso de agrotóxicos seja na prática bem menor do que a alegada. Essa é a principal conclusão de estudo publicado recentemente na revista científica Environmental Monitoring and Assessment,elaborado com base em entrevistas com mil produtores de cinco províncias do país.
As sementes do algodoeiro foram geneticamente modificadas para que a planta produza uma toxina letal a um tipo de lagarta, mas com o passar do tempo insetos-praga de importância secundária passaram a causar prejuízos mais significativos, entre eles pulgões e ácaros. O fato decorre da combinação entre propaganda abusiva da indústria e crença em soluções mágicas para problemas agrícolas.
A pesquisa mostrou que os produtores se referem às sementes transgênicas como “resistentes a pragas”, sendo que 85% dos entrevistados nunca ouviu falar em “algodão transgênico” e 94,5% deles desconhecem o termo “gene Bt”.
Jennifer Zhou, da Universidade Agrícola da China, e seus colegas apontam que na literatura científica o crescimento das pragas secundárias é explicado como resultado da ineficácia do algodão Bt contra outros insetos que não a lagarta e da redução da aplicação de venenos no algodão (90% dos entrevistados relataram controle efetivo da lagarta). A difusão da tecnologia desacompanhada de informações adequadas aos produtores engrossa o problema. E a propaganda enganosa das empresas induz ao manejo errado ao afirmar que as “sementes resistentes a pragas” dispensam o uso de agrotóxicos.
De quebra, do universo dos entrevistados, cerca de um quarto relatou menor produtividade das variedades Bt em relação às convencionais, e cerca de 60% responderam que o Bt não reduziu o custo de produção já que suas sementes são mais caras. Ou seja, mais um elemento da propaganda que cai por terra.
Mas não só as pragas secundárias: os alvos originais do Bt também desenvolvem resistência
. A própria Monsanto já reconheceu o problema com seu algodão Bollgard na Índia e comunicou o fato na revista Science (vol. 327 – Hardy Cotton-Munching Pests Are Latest Blow to GM Crops – Boletim 483 e 309). Mas no mesmo informe a empresa jáanunciou a solução para o problema por ela criado: o Bollgard II, que produz duas proteínas Bt ao invés de apenas uma como o Bollgard.
Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: